A dois

ATACAMA – O QUE FAZER NUM DESERTO?

ATACAMA – O QUE FAZER NUM DESERTO?

Lugar de natureza exuberante, um deserto cheio de cores, lagoas de águas quentes e frias, vulcões, altas temperaturas e até neve no mesmo dia. Sim, neve no deserto não é comum mas fomos premiados com esse espetáculo no nosso último dia. O Atacama é surpreendente, esqueçam aquela impressão de um local vazio, cheio de areia ao ouvirem a palavra “deserto” e acompanhem as paisagens de tirar o fôlego e nosso roteiro de 4 dias por lá.

Onde fica o deserto do Atacama? Norte do Chile, 1000km de extensão, seco e cheio de surpresas, o Atacama é um dos lugares mais lindos que conhecemos.

Como chegar no Atacama?

Partindo de São Paulo para Santiago (4h de voo) e mais duas até Calama (aeroporto mais próximo) e mais 1h de carro até São Pedro do Atacama.

DIA 1

Em Calama (cidade mais próxima) a equipe do hotel nos esperava para o transfer ao Tierra Atacama.

Check-in no hotel, uma analisada nos arredores e meu Deus, que lugar! Estrutura e atendimento impecáveis, a palavra pra definir o atendimento deles é “mimo”, não poupam esforços pra nos atender bem. (Não deixem de olhar as fotos do hotel).

O staff preparou tudo, sentaram com a gente pra definir qual seria o nosso roteiro. Se você não é 100% aventureiro, não se preocupe porque ali ninguém faz além do gosto pessoal. Aventureiros, casais gastronômicos, galera que ama uma paisagem, a turma do vinho com SPA: qual é seu perfil? Eles te ajudam a montar o seu rolê!

Um pouco de aventura, muita natureza, paisagens lindíssimas e espaço pro descanso + bons vinhos! Essa foi a nossa escolha.

Depois de descansar da viagem seguimos pro almoço no hotel. Que almoço! Esqueçam aquele modelo all inclusive lotado de gente com comida mais ou menos, nada de bandejão! O almoço e jantar são servidos a la carte com entrada, prato principal, sobremesa e vinho bom (tudo incluso na diária, inclusive os vinhos/passeios/transfer)

Ficamos ali pela área do hotel e 15h saímos para conhecer a comunidade de Toconao e o Salar do Atacama.

Parte da recepção do hotel e local onde sentamos com o guia pra entender a geografia do Atacama e definir nosso roteiro.

Detalhes do nosso quarto.

Os quartos visto de fora.

Essa é a piscina do hotel com vista para o Vulcão Licancabur (sem aquecimento).

Área pra relaxar, se aquecer no calor da fogueira tomando um bom vinho.

SPA externo que pode ser reservado apenas pro casal.

Piscina interna do SPA (aquecida).

Toconao é a mini cidade, bem pequena mesmo, sua típica igreja e o artesanato local.

Campanário da Igreja de Toconao. A porta foi feita com madeira de cacto!

Artesanato local.

Salar do Atacama, é um mar de sal que de longe parece areia, às vezes neve, mas era apenas sal! Tinham alguns flamingos também, sim, flamingos no meio daquela imensidão de sal, alguns voando outros parados apenas enfeitando aquela paisagem incrível.

Pra finalizar o passeio nosso guia nos surpreeendeu com um piquenique bem ali naquela imensidão branca e ficamos por lá observando o colorido do céu e admirando o espetáculo do pôr do sol. Emocionante!

Voltamos pro hotel quase no jantar para mais uma experiência gastronômica oferecida por eles.

Vinho, lareira e cama… até amanhã

Deserto de sal.

O maior Salar do Chile e um dos maiores do mundo, são 100km de extensão.

O Salar é cercado pela cordilheira dos Andes e pela Cordilheira do Sal, sem contar os vulcões que compõe a paisagem. Pequenas trilhas conduzem à Laguna Chaxa, repleta de Flamingos!

Nosso picnic no meio do Salar.

Imensidão!

Pôr do sol refletindo na Laguna.

DIA 2

Café da manhã e partimos para o Vale de La Luna, vou colocar o horário que saíamos do hotel e voltávamos pra vocês terem uma ideia e adaptarem pra sua futura visita: 9h15 saída do hotel – retorno 12h indo de carro.

Deu pra chegar, almoçar tranquilamente e descansar porque nosso próximo passeio sairia às 16h retornando às 19h. Visitamos os Petroglifos e o Vale do Arco Íris.

De volta ao hotel, jantar e descanso!

Valle de La Luna, um dos pontos mais visitados do Atacama!

Uma caminhada de aproximadamente 40 minutos e encontramos diferentes formações rochosas e caminhamos por locais que nos permitiram sentir a dimensão do Deserto do Atacama.

Uma mistura de rochas e dunas.

Rochas e mais rochas pelo caminho.

Impressão de estar em um cenário de ficção!

No Vale do Arco Íris éramos apenas eu, marido, um casal que nos acompanhou neste passeio, motorista da van e nossa guia. Pouquíssimas pessoas para admirar um verdadeiro espetáculo da natureza: montanhas coloridas devido ao resfriamento da lava expelida pelos vulcões e a presença de diferentes minérios que resultaram em uma paisagem de tirar o fôlego!

Uma montanha avermelhada ao lado de uma verde.

Petroglifos é um antigo refúgio natural usado para abrigar as caravanas que andavam pela região. A área era parte da Rota Inca, uma ligação que vinha do Peru até onde hoje é Santiago.

Vimos uma quantidade de inscrições como deuses, macacos e outros animais esculpidos nas rochas, conhecidas como Petroglifos. Nosso guia explicou que os desenhos eram uma forma de comunicação na época em que a escrita não era conhecida.

Depois de explorar os Petroglifos, a temperatura começou a cair muito e eu só pensava em me aquecer (depois falo em como se vestir no Atacama).

DIA 3

Pela manhã escolhemos o passeio de bike até as Lagunas Cejar, são 17 km + 3000m de altitude, clima seco e estava bem frio.

Nos 12 km eu estava esgotada e coloquei a bike na picape do hotel e decidi acompanhar o marido e o nosso grupo (éramos 4 no total) de dentro do carro e ver de longe eles concluírem a aventura 😂.

Chegamos cansados depois de pedalar 17 km na altitude (ou 12 no meu caso)? Sim! Mas a recompensa valeu o esforço. Nosso guia já estava preparado para explicar a origem de toda aquela beleza diante dos nossos olhos. As águas que descem dos Andes se misturam ao solo super salgado daquela região, tornando a água 4x mais salgada que a do Pacífico, e sim, se você mergulhar será como no mar morto, você flutuará! Outro show da natureza!

Nem preciso dizer que cheguei, almocei e dormi profundo até a hora do passeio seguinte que saiu às 15h para o Vale da Morte.

Voltamos às 19h e fomos conhecer o SPA e suas massagens, excelente escolha pra relaxar antes do jantar.

Laguna Cejar

As bikes e equipamentos foram fornecidos pelo hotel.

Trilha plana, mas com bastante pedra. Se prepare pra chacoalhar bastante.

Chegamos ao destino, quase não dá para entender essa foto. As Lagunas tão transparentes que refletiam as nuvens e montanhas na água.

Colorido do deserto.

As cabaninhas ao fundo são banheiros pra se trocar depois do mergulho.

Valle de La Muerte:

Nosso passeio começou no alto do Vale da Morte, onde tivemos a explicação sobre o local e pudemos admirar a vista panorâmica para os picos da Cordilheira de Sal, em seguida uma caminhada moderada até chegar na parte baixa do Vale, onde observamos as grandes dunas e os diferentes formatos das Rochas.

Caminhada razoável até as dunas.

Depois é só escolher como descer, fizemos o simples e descemos a pé.

Mas existem os que descem deslizando.

DIA 4

Café da manhã e saímos para o tour do dia. O trajeto durou cerca de 1h30 a partir do nosso hotel, e no caminho fizemos uma parada na marcação do Trópico de Capricórnio e a famosa fotografia no meio da estrada. Seguimos em direção ao nosso destino: As Lagunas Altiplanicas e um almoço preparado pelo hotel em frente às Lagunas. Éramos só nós dois e um verdadeiro banquete preparado por eles, maravilhoso!

Retornamos depois do almoço, descansamos e no fim do dia saímos para conhecer o centro da cidade de São Pedro do Atacama.

Trópico de Capricórnio:

Pausa no caminho pra essa foto bem turística.

E essa clássica foto do Atacama: a estrada no meio do nada.

Lagunas Altiplanicas:

Mais de 4000 metros de altura e desfrutamos da tranquilidade do deserto repleto de cores e contrastes. Também conhecemos as Piedras Rojas e Tuyajito.

Piedras Rojas:

Mirante antes de chegar às Piedras Rojas.

Que isso!!!

Fazia muito frio e uma ventania absurda (quase perco o boné).

Tuyajito:

Só nós e um pássaro.

Café pra aquecer no meio do deserto, graças aos mimos do hotel.

Na van vai o motorista, guia, nós dois e toda a estrutura que será montada quando chegarmos no local visitado.

Nosso transporte.

São Pedro de Atacama:

Bem pequena mas com muitas lojas de souvenir, equipamentos e roupas de esporte, agências de viagem, alguns hostels e restaurantes, farmácias e mini mercados, esse é o centrinho de São Pedro do Atacama e sua rua mais conhecida é a Caracoles.

Rústico define!

No fim de tarde começa o movimento.

A maioria das lojas aceitam real, e algumas não aceitavam cartão.

Algumas marcas esportivas estão por lá e se estruturaram no estilo rústico local.

DIA 5

Saímos de madrugada e alcançamos uma altura de 4300m até chegar a El Tatio, um campo com mais de 80 gêiseres ativos. Ali tomamos nosso café da manhã curtindo o amanhecer e toda aquela beleza.

Regressamos observando a fauna daquele lugar e vimos: vicunhas, lhamas, suris e todo o colorido da vegetação local.

O passeio dura cerca de 5/6 horas e com uma caminhada de aproximadamente 30/40 minutos.

Gêiseres:

Os Gêiseres se formam pelo contato das águas subterrâneas frias com as rochas quentes.

A temperatura da água atinge 85 graus.

Valeu a pena madrugar!

Voltariamos pro Atacama e principalmente queremos conhecer os outros hotéis da rede Tierra: Tierra Patagonia.

Como se vestir e o que levar na mala pro Atacama:

Traje básico para passeios de maior altitude: uma calça segunda pele, outra calça por cima e três blusas, que íamos tirando conforme a temperatura aumentava. É o traje cebola, como dizem. Nos pés, meias térmicas e na bolsa, luvas e gorros. Teve um dia que por baixo de todas as roupas eu tinha um biquíni, porque é possível ir do frio intenso até boas temperaturas (inclusive no inverno).

Na mala:

  • Mochila
  • Câmera fotográfica
  • Óculos de sol
  • Garrafa de água
  • Protetor solar
  • Protetor labial
  • Gorro
  • Luvas
  • Tênis de corrida
  • Botas/tênis de trekking
  • Traje de banho
  • Jaqueta corta vento
  • Blusa e calça segunda pele
  • Cachecol ou aquelas golas
  • Esqueçam em casa: sapato social, salto (do menor ao maior) roupas muito arrumadas e leve muita coisa confortável e esportiva.

Até o próximo destino

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *